Hacker que fez caixa eletrônico "cuspir" dinheiro nos EUA é condenado a um ano de prisão

Comentarios
Um juiz federal sentenciou nesta semana um homem em Springfield, Massachussetts, à prisão por hackear caixa eletrônicos para que eles cuspissem dinheiro. Será a primeira vez que alguém nos Estados Unidos é preso por esse tipo de ataque, conhecido como “jackpotting”.


O Departamento de Justiça dos EUA anunciou 
na quarta-feira (26) que Argenys Rodriguez ficará 12 meses e um dia na cadeia. O departamento anunciou em fevereiro que Rodriguez e Alex Alberto Fajin-Diaz foram acusados por envolvimento de um esquema de jackpotting.

Brian Krebs, que é blogueiro especializado em segurança, noticiou após um mês que o Serviço Secreto dos EUA passou a informar instituições bancárias de que hackers estavam instalando hardware e software em caixas eletrônicos que faria as máquinas cuspirem dinheiro. Antes disso, o jackpotting era uma prática conhecida apenas na Europa e na Ásia.

De acordo com o departamento, os hackers envolvidos no esquema de Rodrigues se passavam por técnicos e instalavam o malware no caixa eletrônico. Em seguida, outros caras iam até o local para fazer o dinheiro ser cuspido. 
Documentos da corte mostram que eles usaram um malware Ploutus, que permite que os atacantes usem o smartphone para pegar o dinheiro.

A polícia de Cromwell, de Connecticut (EUA), encontrou Fajin-Diaz e Rodriguez próximos a um caixa eletrônico que estava cuspindo dinheiro em 27 de janeiro, após investigadores do Citizen Bank terem alertado as autoridades de atividades suspeitas. A polícia encontrou no carro dos suspeitos ferramentas necessárias para a obtenção do dinheiro.

Além disso, eles tinham cerca de US$ 5.600 em dinheiro vivo, mas as autoridades ainda acharam outros dois parceiros deles que tinham tirado US$ 63.200 do caixa. Cinco dias antes, a operação conseguiu pegar US$ 63.820 de um caixa eletrônico em Rhode Island.

Tanto Rodriguez quanto Fajin-Diaz, que é cidadão espanhol, foram declarados culpados por conspiração por fraude bancária. Fajin-Diaz ainda está aguardando sua sentença.

Além da sentença de prisão, Rodriguez ficará dois anos sob supervisão e terá de devolver US$ 121.355,38.